Siga-nos

Brasil

Escolas no DF terão revista de alunos por policiais

Medida visa a segurança, mas é criticada por especialista e sindicato

Da Redação, em 14 de maio de 2019
Marcelo Camargo/ EBC

A rede de ensino público do Distrito Federal deverá adotar até o final deste mês novas regras no regimento escolar prevendo revista de material de alunos, termo de ajustamento de conduta, obrigatoriedade do uso de uniforme, respeito e decoro no trato com os professores, ressarcimento em caso de depredação de patrimônio e mais presença de policiais dentro das escolas.

A proposta é da Secretaria de Educação e foi idealizada a partir das respostas a um questionário de 100 perguntas aplicado pela Polícia Militar junto a 55% das escolas públicas em 2018, além de consultas a escolas e a todas coordenações regionais de ensino neste ano.

Na última semana, venceu o prazo para que as escolas e comunidade se manifestassem quanto à minuta publicada na internet. Um grupo de trabalho analisa as sugestões e o Conselho de Educação do DF deverá expedir portaria alterando o regimento ainda este mês. As medidas, entretanto, não são unanimidade entre a comunidade acadêmica.

Polêmica

Pesquisadora em educação, a socióloga Marina Carvalho Paz vê poucas possibilidades de o novo regimento produzir mudanças, aumentar a segurança nas escolas e deixar os pais mais tranquilos. “No máximo o que vamos fazer é punir o aluno e depois procurar uma nova escola para transferi-lo. Isso já acontece”.

Segundo ela, a decisão “foi pouco pensada”. “Faz mais sentido a escola construir um regulamento com a comunidade escolar, incluindo a previsão de punições cabíveis. Um termo pactuado entre diretores, professores, alunos e pais”, acredita.

Morador de Ceilândia (região administrativa mais populosa do DF) e com três filhos matriculados na rede pública (7, 9 e 16 anos), Ribamar Ferreira Neto diz que “concorda plenamente” com o teor proposto pelas regras. “Quem não deve não teme. Se for para aumentar a segurança, estou de acordo”, disse, apesar de não ter sido consultado sobre as medidas nas escolas dos filhos.

O irmão de Ribamar, Edmar Ferreira Neto, também concorda. “As coisas quando estão muito soltas tendem a render para o lado ruim”, disse Edmar que é pai de duas crianças (10 e 14 anos) que estudam em escola pública. Ele conta que, na escola do seu filho mais velho, já houve episódio de briga com faca, sem maior consequência.

Publicidade
Clique para comentar

Comentar

Brasil

Estrutura de concreto desaba em túnel no Rio

Cidade maravilhosa encontra-se novamente em estágio de crise com desabamento

Da Redação, em 17 de maio de 2019

O município do Rio de Janeiro entrou em estágio de crise no início da tarde de sexta (17) depois que uma estrutura de concreto desabou no Túnel Rafael Mascarenhas (Acústico). O desabamento fechou a via nos dois sentidos, interrompendo a principal ligação entre a zona sul e os bairros da Barra da Tijuca e São Conrado.

Ainda não há informações sobre feridos no desabamento. O Corpo de Bombeiros está no local, que é parte do percurso da autoestrada Lagoa-Barra. A prefeitura do Rio de Janeiro pede que os motoristas evitem trafegar entre a zona sul e a Barra, já que a Avenida Niemeyer – a outra ligação entre as duas regiões –, também está totalmente bloqueada. A via foi fechada ontem por causa de um deslizamento de terra em São Conrado.

A mobilidade na zona sul da cidade está ainda mais prejudicada porque o Túnel Rebouças, ligação da Lagoa Rodrigo de Freitas com o centro e a zona norte, está parcialmente interditado, devido a um acidente no sentido zona sul. A cidade já havia entrado em estágio de atenção na manhã de hoje por causa dos problemas de mobilidade. Além disso, há previsão de chuva forte para esta sexta-feira, além de ventos moderados a fortes e ressaca com ondas de até 2,5 metros.

Continue Lendo

Brasil

Presidente do Inep pede demissão

Elmer Coelho Vicenzi assumiu o cargo há menos de um mês e já é o segundo a sair da presidência

Da Redação, em 17 de maio de 2019
EBC

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Elmer Coelho Vicenzi, pediu demissão. A informação foi confirmada há pouco pelo Ministério da Educação (MEC). A pasta diz apenas que a demissão foi “a pedido”. O MEC divulgou hoje (17) que Alexandre Ribeiro Pereira Lopes, agora ex-diretor legislativo da secretaria executiva da Casa Civil, ocupará o cargo de presidência do Inep como substituto.

Delegado da Polícia Federal, Vicenzi, assumiu o Inep no dia 22 de abril. Ele foi chefe do Serviço de Repressão a Crimes Cibernéticos da Coordenação-Geral de Polícia Fazendária da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado e diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Autarquia vinculada ao Ministério da Educação, o Inep é responsável por avaliações como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), aplicado a estudantes desde a alfabetização até o ensino médio, além dos Censos Escolar e da Educação Superior

Continue Lendo

Destaques