Siga-nos

Brasil

Momento do deslizamento

Vídeo mostra o avançar da lama rumo a pessoas e instalações da Vale em Brumadinho

Da Redação, em 03 de fevereiro de 2019

Está circulando na Internet este vídeo, feito por um trabalhador da Vale, mostrando o momento exato em que a barreira de Brumadinho se rompe, e a torrente de lama invade as instalações da empresa, ceifando inúmeras vidas.

Publicidade
Clique para comentar

Comentar

Brasil

Rocinha evacuada por risco de deslizamento de pedra

Área da favela da Rocinha, uma das maiores do Rio de Janeiro, precisou ser evacuada por um possível deslizamento

Da Redação, em 13 de fevereiro de 2019
Fernando Frazão/Agência Brasil

Uma área com risco de deslizamento de pedras na favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro, terá que ser vistoriada e evacuada pelo poder público, determinou o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) em uma decisão cautelar de caráter de urgência. O pedido foi feito pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, que afirmou que a situação envolve uma pedra de grande porte localizada no alto do Morro Dois Irmãos.

O MP afirma que já havia protocolado pedido de providências por parte dos órgãos públicos municipais ao tomar conhecimento da situação, mas não teve notícias de que foram tomadas providências de autoridades estaduais ou municipais “com o fim de garantir a integridade física da população, em caso de eventual deslizamento”. Segundo o MP, a pedra estaria prestes a se deslocar e escorregar pela encosta, “expondo a iminente risco os moradores e várias casas da comunidade localizadas no espectro de rolamento destas pedras”.

O pedido chegou ao Plantão Judicial e foi aceito pela juíza Isabel Teresa Pinto Coelho Diniz, que determinou que as autoridades estaduais e municipais “procedam à imediata vistoria no local e evacuação dos moradores residentes na Comunidade da Rocinha e adjacências, que estejam no espectro de rolamento das pedras”. 

Além disso, a sentença acrescenta que o estado e o município devem promover o reassentamento das pessoas em locais dignos até a remoção das pedras e/ou cessação do período de chuvas. A decisão deu prazo de duas horas para que o trabalho comece, sob pena de multa de R$ 1 milhão por hora de descumprimento.

Continue Lendo

Brasil

Cirurgia de Bolsonaro transcorreu bem

Operação para retirada da bolsa de colostomia foi muito bem sucedida, de acordo com a equipe médica do hospital paulista

Da Redação, em 31 de janeiro de 2019

Dias depois da cirurgia de reconstrução do trânsito intestinal e da retirada da bolsa de colostomia, o presidente Jair Bolsonaro já está no quarto, no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Por recomendação médica, as visitas estão limitadas, assim como conversas. Porém, ele tem se exercitado, com o apoio da fisioterapia, e faz caminhadas.

O porta-voz da Presidência da República, Otavio do Rêgo Barros, disse que Bolsonaro vai se comunicar, por meio de videoconferência ou audioconferência, com os ministros, quando necessário. Rêgo Barros afirmou que o presidente será preservado de falar porque há possibilidade de que gases entrem em sua cavidade abdominal, o que poderia provocar dores e dificuldade na cicatrização.

Segundo o porta-voz, assim que houver liberação médica, Bolsonaro poderá falar novamente para exercer suas funções na presidência. A previsão de alta é de 10 dias após a cirurgia. A possibilidade de uma reunião presencial com os ministros de Minas e Energia, Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, para tratar do desastre em Brumadinho, foi adiada.

Rêgo Barros disse que o presidente já manuseiao telefone, tem contato com outras pessoas e assiste televisão. Há comunicados diários no hospital para detalhar o estado de saúde do presidente e as atividades previstas para o dia seguinte. Os boletins médicos de Bolsonaro são emitidos pelo Albert Einstein, mas sua divulgação, entretanto, ficará sob tutela do porta-voz da presidência.

Consequência da facada

Jair Bolsonaro deverá ter alta médica em dez dias. Nas primeiras 48 horas após a operação o vice-presidente exerceu a presidência interinamente.
Segundo os médicos, a cirurgia para reconstrução do trânsito intestinal ocorreu com êxito e eles estão otimistas com a recuperação do presidente brasileiro.

A cirurgia de reconstrução do trânsito intestinal, a que foi submetido o presidente, não teve intercorrências nem necessidade de transfusão de sangue. No procedimento foi feita a reconstrução do trânsito intestinal e extensa lise de aderências decorrentes das duas cirurgias anteriores, conforme o boletim médico. “Foi realizada anastomose do íleo com o cólon transverso, que é a união do intestino delgado com o intestino grosso”, detalharam os médicos.

Com a operação, foi retirada a bolsa de colostomia que Bolsonaro usava desde que foi esfaqueado, num ato de campanha, em Juiz de Fora, no dia 6 de setembro de 2018. A facada atingiu o intestino e o então candidato foi submetido a duas cirurgias, uma na Santa Casa de Juiz de Fora e outra no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A bolsa de colostomia utilizada por ele por cerca de quatro meses funcionou como um intestino externo e possibilitou a recuperação do intestino grosso e delgado.

Continue Lendo

Destaques