Siga-nos

Colunistas

O maior festival de cultura popular paulista

Festival Revelando São Paulo, passeio imperdível para quem tem paulistude, vem aí com 170 cidades representadas

Divulgação/Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo

Hoje quero falar para vocês, meus leitores e minhas leitoras, sob o maior festival de cultura popular paulista, um passeio imperdível para todas as idades. Trata-se do Revelando São Paulo, que está de volta à capital, a partir da próxima quarta-feira, dia 29 de novembro. Serão 80 opções de gastronomia tipicamente paulista, 100 estandes de artesanato, bem como apresentações de grupos de música e dança no Parque do Trote, no bairro da Vila Guilherme, zona Norte da cidade de São Paulo. O festival irá até o dia 3 de dezembro, com diversas atrações – todos os shows serão gratuitos.

Mais de 170 cidades paulistas estarão representadas no festival, dando oportunidade para que nosso povo entre em contato com nossas tradições, nossa cultura, nossa paulistude – tudo concentrado numa área de 180 mil m². O tema principal desta edição do festival será a Festa do Divino. Haverá exposição de fotos, mesas redondas com debates sobre nossa cultura paulista, mostras de gastronomia típica de várias regiões de São Paulo, desfiles de roupas e muita música de raiz, tipicamente paulista.

Aos fãs da boa gastronomia, o festival oferece comida feita em fogões a lenha e típicos ranchos tropeiros – mais de 200 receitas de várias cidades paulistas se farão presentes. Pratos clássicos da cozinha paulista, como paçoca de carne, Buraco Quente, bolinho caipira, requeijão de prato e várias outras iguarias estarão acessíveis a todos, a preços populares.

Já nosso linda e rica musicalidade paulista será retratada por meio de modas de viola, moçambiques, congadas, samba rural e fanfarras. Espetáculos de danças regionais, como grupos de Folia de Reis, Dança de Santa Cruz, Dança de São Gonçalo e paradas de bonecos de rua encantarão paulistas de todas as idades.

O Pátria Paulista disponibiliza abaixo a programação do festival. Não deixe de ir, vale a pena :

Programação permanente – Todos os dias, das 9h às 21h

Artesanato – Exposição e comercialização de produtos artesanais de tradição, bem como demonstração dos trabalhos dos artesãos.
Culinária – Preparo e consumo de iguarias da culinária paulista tradicional.
Em Torno do Barro – Espaço concebido para a reunião de arte-ceramistas tradicionais e o compartilhamento de saberes e conhecimentos nas artes do fogo e do barro.
Homem do Realejo – Presença dos homens do Realejo durante o festival
Indígenas – Arranchamento de comunidades indígenas do território paulista, com sua musicalidade, seu artesanato e outras práticas culturais.
Espaço Cigano – Convivência e compartilhamento de músicas, danças e outros elementos culturais dessa cultura nômade.

29 de novembro (quarta-feira)

Palco
12h – Abertura da 20ª edição do Revelando São Paulo
Fanfarra Municipal de Nazaré Paulista

10h – 23º Encontro de Violeiros
Fabiano Baviera, Adriana Tigre e Valmir Roza – Batatais
Dalan Bueno – Guarulhos
Vera Bianca e Guaru – Guarulhos
Alma Caipira – Guarulhos
Prosa Fogão & Viola – Guarulhos
Cesar Viola e Cuiabá – Iporanga
Ivan Rufino e Alex – Itaoca
Osni e Gilmar – Itaoca
André Matheus e Gabriel – Itaoca
Douglas e Gustavo – Itaoca
Violeiros do Vale – Itariri
Duo Martins – Jacareí
Violeiros Thalles e Jovani – Lagoinha
Bento Tupã Marcelo Chance – São Paulo
Oliveira Neto e Amigos – São José dos Campos
Violeiros de Redenção da Serra
Violeiros Rais – Tatuí
Tropeirinhos do Rancho da Viola – Tatuí

14h – 23º Encontro de São Gonçalo
Reza de São Gonçalo – Atibaia
Irmãos da Barra – Barra do Turvo
São Gonçalo do Amarante – Jacareí
Grupo de Reza de São Gonçalo de Jarinu
Grupo de São Gonçalo de Pardinho
Seresteiros com Ternura – Tatuí
Grupo Orgulho Caipira – Lagoinha
Trança Fitas de Itaoca
Fandango de Tamancos de Itaoca
Grupo de Dança Leão XIII  – São Paulo
Devotos de São Benedito – Aparecida
Hill Billy – São Paulo
Grupo Apolo de Danças Gregas – São Paulo

20h – Encerramento: Jackson Ricarte – São José dos Campos

30 de novembro (quinta-feira)

Palco
10h – Por Estas Bandas – Encontro de Bandas e Fanfarras
Banda Municipal de Coreto Waldemar Tedeschi – Torrinha
Projeto Música e Lutheria – Morungaba
Fanfateria da Patrulha Mirim de Cordeirópolis
Banda Municipal Manoel Rocha Filho  –  Redenção
Banda Cynthia Cliquet Luciano – São Sebastião
Banda Musical da Topolândia  – São Sebastião
Camerata de Rabecas Crescer para o Futuro Vale do Ribeira
Flor de São Gonçalo – São José dos Campos

13h – 23º Encontro de Orquestra de Viola
Grupo Raízes de Viola Caipira – Atibaia
Orquestra de violas Estrela de Ouro – Caraguatatuba
Orquestra de Violeiros – Castilho
Orquestra de Violeiros e Cantores Ouro na Serra –  Guapiara
Orquestra de Violeiro Coração da Viola – Guarulhos
Orquestra de Viola Caipira Matutos da Mantiqueira – Joanópolis
Orquestra de Viola e Violão Boca do Sertão – Lençóis Paulista
Orquestra de Violeiros de Mauá
Orquestra de Viola Caipira Nazaré Paulista

20h – Encerramento: Grupo de Viola Caipira Cordas da Mantiqueira – São José dos Campos

1 de dezembro (sexta-feira)

10h – 23º Encontro de Catira
Catira Botas de Ouro – Guarulhos
Catira AZ de Ouro – Mauá
Grupo de Catira Monteiro Lobato
Tropeirinhos Do Rancho da Viola – Tatuí
Cururueiros de Tatuí
Adoradores de Santa Cruz de Embu das Artes

Palco
13h – Encontro de Orquestra
Orquestra Cantinho da Viola – Palmital
Caipiras da Cuesta Canto e Viola  – Pardinho
Violeiros de Redenção da Serra – Redenção da Serra
Orquestra de Violeiros de Ribeirão Branco –  Ribeirão Branco
Camerata de Violas SLP – São Luiz do Paraitinga
Grupo de Viola e Catira Terra Batida – Socorro
Orquestra Morena da Fronteira de Viola Caipira – Socorro
Orquestra de Violeiros de Taboão da – Serra Taboão da Serra
Orquestra torrinhense de viola caipira – Torrinha
Orquestra de Violeiros Flor de Várzea – Várzea Paulista
Grupo de Viola Caipira São Gonçalo de Votorantim

18h – Conexão com o sagrado

18h30 – 10ª Noite de São João
Quadrilha da Melhor Idade de Angatuba
Grupo Lahchinê – Juquiá
Quadrilha da Melhor Idade – Redenção da Serra
Quadrilha da Sociedade Cultural e Recreativa da Alameda Glória – São Bernardo do Campo

20h – Encerramento: Quadrilha de Bonecões da Mantiqueira – Caçapava

2 de dezembro (sábado)

9h – Cortejo – 23º Festival de Bonecos de Rua e Cabeções
Bonecos Gigantes Pereirões – Monteiro Lobato
Os Nazarentos – Nazaré Paulista
Cordão dos Bichos de Tatuí
Turma da Mariona – Torrinha
Bloco da Mariona – Torrinha

Palco
9h – Encontro de Reiada
Folia de Reis Caraguatatuba
Estrela da Guia da Vila Ana Rosa – Cruzeiro
Folia de Reis Zé Reis – Diadema
Companhia de Santos Reis Marajoara –  Embu das Artes
Folia de Reis Estrela Dalva – Guarulhos
Folia de Reis A Caminho de Belém – Jacareí
A caminho de Belém – Jacareí
Filhos do Oriente – Jacareí
Folia de Reis da Ponte Nova – Lagoinha
Companhia de Reis Água das Anhumas – Palmital
Folia de Reis do Pontal da Cruz – São Sebastião
Folia de Reis do Morro do Abrigo – São Sebastião
Cia de Reis do Litoral – São Sebastião
Folia de Reis de Torrinha
Companhia de Santos Reis Luz Divina – Várzea Paulista

13h – 16º Festival da Amizade
Cheiro de Mate – Capão Bonito
Volkstanzgruppe Edelstein – Pariquera-Açu
Passi D´oro – Pariquera-Açu
Grupo de Danças Gaúchas Tropeiros da Nascente – Pilar do Sul
Grupo de Danças Parafolclóricas de Pirassununga
FIDES Cultural – São Paulo
Companhia Balalayka – São Paulo
Grupo Folclórico Casa Ilha da Madeira Infanto Juvenil – São Paulo
Fraternidade Cultural Morenada Señorial Illimani – São Paulo
Alma Andina –  São Paulo
Fraternidade Caporales San Simón – São Paulo

1º Encontro de Samba
Samba Família Macambira – Guarulhos
Samba do Sino Movimento Cultural – Guarulhos
Comunidade Samba da Canja – Guarulhos

18h – 16ª Noite dos Tambores
Comunidade Jongo Embu das Artes
Jongo Mistura das Raças – São José dos Campos
Samba Lenço Lenço de Mauá

3 de dezembro (domingo)

9h
Orquestra de Metais de Campo Limpo Paulista
Grupo da Santa Cruz – Carapicuíba
Orquestra de viola caipira de Cabreúva

Palco
10h – Cortejo – Entrada no Recinto – 19º Congado Paulista
Congada Rosa de Atibaia
Congada Azul de Atibaia
Congada Verde de Atibaia
Congada Vermelha de Atibaia
Cia de Moçambique de Caraguatatuba
Congada 3 Colinas de Franca e Congadas Marinhos de Franca
Congada São Benedito e Nossa Senhora da Conceição de Lagoinha
Folclórico e Religioso Moçambique de São Benedito de Lorena
Congada Batalhão Nossa Senhora Aparecida – Mogi das Cruzes
Congada Santa Efigênia – Mogi das Cruzes
Congada Divino Espírito Santo – Mogi das Cruzes
Congada Marujada Nossa Senhora do Rosário – Mogi das Cruzes
Moçambique Capela Santa Cruz do Botujuru – Mogi das Cruzes
Congada de São Benedito do Conjunto Santo Ângelo de Mogi das Cruzes
Moçambique Esperança – Monteiro Lobato
Congada Preta e Branca – Nazaré Paulista
Congada de Pedra Bela
Congada de São Benedito – Pindamonhangaba
Grupo de Moçambique Leal Bahia – Piraju
União de São Benedito – Redenção da Serra
Grupo de Congada Filhos de N’Zambi – São José dos Campos
Congada de São Benedito do Bairro de São Francisco – São Sebastião
Congada de São Benedito e Divino Espírito Santo – Socorro
Caminheiros de Santo Expedito – Mairiporã
Caminheiros de Bom Jesus – Tatuí
Caiapós de Piracaia
Corte do Divino – Itanhaém
Corte do Divino – Joanópolis
Corte do Divino – Nazaré Paulista
Irmandade do Divino Espírito Santo de N.Sra do Ó – São Paulo
Bandeira do Divino – Sorocaba
Folia do Divino – Sorocaba
Bandeira do Divino – Votorantim
Afoxé Ilê Omo Dadá – São Paulo
Afoxé Omí Aldadô- Campinas
Cia. Caracaxa – São Paulo

Veja como chegar no festival Revelando São Paulo, que terá lugar na praça Vila Guilherme-Trote, na Zona Norte da capital, ou acesse diretamente seu site.

  • Comidas de diversas regiões de São Paulo para o paladar mais exigente

  • Nesta edição do Revelando São Paulo haverá muita coisa que transborda paulistude

  • Artesanato paulista de primeira, com dezenas de expositores

  • Danças típicas do interior paulista, como a Congada, dentre muitas outras

  • Claro que a nossa moda de viola terá seu momento no festival

  • A rica manifestação da cultura de raiz paulista mostrará seu valor no festival

  • Paradas com bonecos gigantes e muito mais aguardam as crianças

  • O folclore de nossa terra paulista, ao alcance de todos no festival

  • Mais de 80 barracas terão receitas típicas de São Paulo, a preços módicos

  • O festival vai de 26 de novembro até o dia 3 de dezembro, com muitas atrações e diversão garantida

Publicidade
Clique para comentar

Comentar

Alita, uma robô com alma

Adaptação de um mangá, Alita é a história de um ciborgue com alma humana, em busca de seu passado

Divulgação/Fox Studio

Já faz um tempo desde que o diretor Robert Rodriguez nos encheu os olhos com espetáculos visuais como seu filme “Sin City”. Após cinco anos de jejum em termos de bons filmes, o cineasta está mostrando sinais de vida novamente. Alita é seu melhor filme, um épico de ficção científica que faz algo raro numa era de adaptações infinitas: faz jus ao seu potencial, deixando aquele gosto de “quero mais”.

Uma adaptação do mangá de Yukito Kishiro, o filme se passa 300 anos após “a queda” – um desses genéricos apocalipses de ficção científica que garantem a grande revelação no final.

Alita é o tipo de filme cujas histórias de fundo se entrelaçam tanto que levam tempo para serem devidamente explicadas, mas a direção segura de Rodriguez faz bem em manter a sua exposição ao mínimo.

Como um cruzamento feminino de Pinóquio e o monstro de Frankenstein, tudo atualizado para a era espacial, Alita é descoberta num ferro-velho pelo Dr. Ido, um cirurgião cibernético com um fraco por criaturas inocentes cujos corpos – biológicos ou mecânicos – falharam. Ao ser encontrada, Alita não consegue dizer quem é ou de onde veio, após ser trazida de volta à vida (ou ser posta online, como queira). O que ela rapidamente percebe, porém, é que ela tem o poder de aniquilar qualquer um que cruze seu caminho.

Essa é uma habilidade útil para se ter na Cidade de Ferro, uma quase distopia que vive sob a longa sombra projetada pela cidade aérea chamada Zalum. Os “proletários” desse futuro distópico são mantidos em terra, na superpovoada metrópole, nunca podendo ascender ao suposto paraíso acima deles – a menos que você seja o último campeão de um esporte absurdamente perigoso, um tal de motorball.

Alita então se põe na lista lista de competidores, que usam mecanismos aprimorados para matar os adversários e se sagrarem vencedores. Com suas vitórias nessa arena, Alita tem a chance de conhecer seu criador, e desvendar o mistério de sua origem, e este filme.

Continue Lendo

Nozes, as aliadas da dieta

Quando a “sabedoria popular” não condiz com a verdade – nozes fazem muito bem à saúde

Freeimages

Desde pequenos ouvimos que nozes engordam; que é preciso comer pouco (ou nada) delas, senão o risco para sua saúde pode ser grande; e mais coisas do gênero. Mas o fato é que as nozes são uma categoria de alimentos que ganhou má fama mais por conta do disse-me-disse de gente que acha que sabe do que está falando, do que por seu teor nutritivo e valor alimentar efetivo. É hora de desmistificar as nozes, e é isso que me proponho a fazer neste meu texto de hoje.

Existem certos alimentos em que temos, de fato, um certa dualidade em relação à sua eventual adequação a dietas emagrecedoras. Quando falamos desses tipos de alimentos, é comum ouvir comentários que levam em conta apenas um lado da coisa, não levando em consideração o que a ciência nutricional mais moderna tem a dizer. Para citar alguns exemplos, temos o ovo (cuja polêmica, se “´faz bem” ou “não faz bem” à dieta vou tratar num texto futuro), o leite (já devidamente analisado, em detalhes, na semana passada), e as nozes, sobre as quais tratarei hoje neste texto de minha coluna aqui no Pátria Paulista.

Respondendo logo de sopetão – nozes engordam, afinal? Não, nozes não engordam. Isso de nozes serem super-calóricas é um mito nutricional, algo que não deve ser mais levado em conta por aqueles que queiram fazer uma dieta saudável.

Neste mundo tão antigordura e anticalórico em que vivemos atualmente, as nozes carregam um estigma que dificilmente pode-se relevar. A gente deve reconhecer, porém, que as nozes pertencem a uma gama de produtos que fornecem uma quantidade significativa de lipídios e, portanto, sua ingestão calórica relativamente alta em comparação com outros produtos.
Essa informação gera a desconfiança de boa parte das pessoas que quer emagrecer (e que odeia as gorduras e as calorias a mais).

Uma caloria não é uma caloria

O que é preciso atentar é que, à vezes, ” uma caloria não é uma caloria”, ou seja, que um alto teor de gordura – como têm as nozes – não é sinônimo de maior probabilidade de ganhar peso. Em qualquer caso e antes de começar a enumerar a enorme quantidade de estudos que sustentam essa perspectiva, é necessário definir o que estou chamando de nozes. Quando falo de “nozes”, estou me referindo a sementes secas e naturais de amêndoas, nozes, avelãs, castanha de caju, pistache, pinhão, castanha do Pará, amendoim e assim por diante. E geralmente também se refere ao consumo de frutas secas (passas, figos, ameixas, damascos secos, tâmaras, etc.). Por nozes também quero deixar claro que não estou me referindo a versões saldadas, fritas ou cobertas com caramelo e açúcares artificiais, mas sim às sementes em seu estado natural.

Estudos defendem as nozes

Num interessante estudo internacional, mais de 50 mil mulheres, entre 25 e 45 anos de idade, tiveram suas variações de peso anotadas e acompanhadas por mais de 8 anos, com especial atenção ao seu consumo de nozes. O que se observou com a pesquisa é que um maior consumo desse alimento foi associado a um menor risco de aumento de peso e que, longe de ser vistas com suspeita, as nozes poderiam ser consideradas mais como uma ferramenta para o controle de problemas de peso do que como um perigo. A conclusão desse estudo foi que um maior consumo de nozes foi associado a um menor ganho de peso após estes 8 anos, bem como um risco menor de sobrepeso ou obesidade. Ou seja, aqueles que mais consumiam nozes em sua dieta habitual apresentaram menor prevalência de obesidade em comparação com aqueles que os consumiam com menor frequência.

Existem inúmeros estudos com resultados semelhantes que mostraram claramente que consumo de nozes não foi associado a um aumento do risco de ganho de peso em estudos epidemiológicos de longo prazo ou em ensaios clínicos.

É lógico imaginar que o consumo de algo como nozes, que têm muitos lipídios e, portanto, muitas calorias, esteja relacionado ao risco da obesidade. Faz sentido. Mas o ponto é que as nozes contribuem para uma sensação de saciedade. Isto quer dizer que a comer uma pequena quantidade de nozes, você não sente mais fome.

Ajudando a flora intestinal

Mas há outro efeito, mais interessante, das nozes no nosso organismo: elas promovem o crescimento de cepas bacterianas que dentro de nossa flora intestinal têm um papel proeminente no controle de problemas de peso.
No fim das contas, nozes são extremamente saudáveis, e são grandes aliadas de sua dieta, por conta de sua riqueza em fibras solúveis a partir das quais se revela o seu efeito junto à sua flora intestinal.

Continue Lendo

Sobre o Autor

Pedro Lucas

Pedro Lucas

"Mais do que um turista, um viajante" - assim se define Pedro Lucas, morador de São Caetano, professor de artes marciais, escritor ocasional, e colunista quinzenal de turismo paulista no portal

Outros Textos Seus

Últimas Notícias

Destaques